Domingo Rural: Patrícia Portela

Um almoço no campo, com artistas e convidados, em conversa informal à volta de um tema. Desta vez, salão literário com Patrícia Portela, do Salão Utópico Hortus.

Vamos reunir amigos, artistas e convidados do Festival Escrita na Paisagem à volta de uma mesa e cozinhar estes ingredientes. A ideia é cozinhar relações e aproveitar o entorno de Évora: a dois passos do campo e em permanente diálogo com as nossas diversas origens. Vamos ouvir os espaços que nos envolvem com maior tranquilidade, ganhando (bom) tempo só por não olhar para o relógio, e vamos alimentar o conhecimento que temos sobre um tema, proposto em avanço, e aberto à discussão. Esta partilha de sabores, saberes e receitas vai, certamente, abrir o apetite para uma outra maneira de pensar as políticas da natureza e as naturezas da política.

Menu escrito na paisagem:

Piquenique ampulheta para dar cabo da crise (a pessoal e as outras)

Durante a preparação do projeto Hortus em Portugal e na Bélgica, tive a oportunidade de contactar uma centena de oradores para os salões utópicos, entre os quais o médico e investigador científico neerlandês Kris Verburgh, autor do livro “a ampulheta alimentar”, onde se questiona a pirâmide alimentar enquanto construção da indústria e se relaciona o aumento de doenças cancerígenas com a alteração drástica da dieta do mundo ocidental nos últimos 60 anos.

Inspirada na sua sabedoria, e cruzando-a com uma antiga paixão por cozinha molecular (herdada de outros projetos como o Banquete de 2007) convido todos a “exercitar” a utopia em tempo real e a ruminá-la em tempo digestivo num salão rural com a participação de António Saias, João Raposeira, Christoph de Boeck e Pedro Pires.

 

Patrícia Portela

www.prado.tv

 

Patrícia Portela

Patrícia Portela

Patrícia Portela é autora de performances entre as quais se destacam o Banquete (top10 dos melhores espectáculos na Bélgica 2007), a Trilogia Flatland (prémio Acarte/Madalena de Azeredo Perdigão, prémio Associação dos Críticos de Teatro Portugueses) ou Wasteband (prémio Teatro na Década e Menção Honrosa Acarte/Madalena de Azeredo Perdigão.

É ainda autora de vários livros (romance e conto), tendo sido considerada uma das revelações literárias da década 2000-2010 pelo JL..

22 de Julho
13h00
Monte do Quiosque
Azaruja