Hortus

Em “Hortus” o visitante é convidado a explorar um jardim onde uma rede de sensores mede a dinâmica do vento e de luz recolhida pelas plantas durante o seu processo de fotosíntese, traduzindo-a num ambiente sonoro. De 19 a 22 de Julho no Tribunal da Relação, em Évora.

Um projecto de Christoph De Boeck & Patrícia Portela [BE/PT]

Em “Hortus” o visitante é convidado a explorar um jardim onde uma rede de sensores mede a dinâmica do vento e de luz recolhida pelas plantas durante o seu processo de fotosíntese, traduzindo-a num ambiente sonoro.

Em "Hortus", quando há movimentação humana no jardim, um algoritmo financeiro (semelhante aos usados na bolsa de valores), interpreta a variação dos dados recolhidos a cada fracção de segundo e altera a instalação sonora original de acordo com a expectativa de «lucro» que estima para cada planta.


Quando em conjunto os visitantes decidem parar para reflectir ou para ler, o desenho sonoro original retorna ao jardim, reflectindo apenas a leitura dos recursos naturais.
Acompanhando a instalação sonora, uma rede de histórias circula em placas botânicas electrónicas comparando definições diferentes para termos comuns (como crescimento, beleza, regeneração ou tempo) no mundo económico, político ou natural.

2084 / Salão

Em “2084”, um ou mais oradores de áreas tão distintas como a ciência, a política ou a filosofia, discutem e debatem com o público duas visões diferentes de um futuro próximo (2020 e 2084). Um convite a praticar e a exercitar a utopia num ambiente informal, imaginando o impossível.


Os textos serão disponibilizados online com antecedência e distribuídos durante o Salão.

EQUIPA

Conceito e som: Christoph De Boeck
Conceito e texto: Patrícia Portela
Electrónica: Culture Crew
Algoritmos: Luis M. Russo
Construção e design das placas: Brian Rommens e João Gonçalves
Edição de Texto: Isabel Garcez
Produção Prado e deepblue: Ilse Joliet, Pedro Pires, Helena Serra
Co-produtores e parcerias: Maria Matos Teatro Municipal (Lisboa) | Kaaitheater (Bruxelas) | ICA (Londres), Festival Van Vlaanderen (Kortrijk) | Embaixada de Portugal na Bélgica | Verbeke Foundation (Kemzeke) | Festival Escrita na Paisagem (Évora) | Câmara Municipal de Lisboa/Direcção Municipal de Cultura | ZDB (Lisboa).

Oradores: Miguel Real (crítico literário e investigador UCL), André Barata (Prof. de Filosofia), Luís Urbano (som&fúria), Joana Bértholo (escritora), Ricardo Paes Mamede (professor de economia politica), Francisco Ferreira (Quercus), Alexandra do Carmo (Músico, Filosofia), António Carlos Cortez (crítico de literatura e professor), Gonçalo Ribeiro Telles (arquitecto paisagista), Helena Águeda Marújo (Instituto da Felicidade), Bárbara Assis Pacheco (Artista Plástica) e Aida Tavares (Teatro São Luiz).

Christoph De Boeck

Christoph De Boeck

Nas suas instalações, Christoph De Boeck utiliza o som de forma tangível ou mesmo visível.

Com deepblue apresentou Closer, You are here, Staalhemel/Steel Sky (nomeado para o “New Media Prize” promovido pela Fundação Liedts Meesen), entre outras peças.

Patrícia Portela

Patrícia Portela

Patrícia Portela é autora de performances entre as quais se destacam o Banquete (top10 dos melhores espectáculos na Bélgica 2007), a Trilogia Flatland (prémio Acarte/Madalena de Azeredo Perdigão, prémio Associação dos Críticos de Teatro Portugueses) ou Wasteband (prémio Teatro na Década e Menção Honrosa Acarte/Madalena de Azeredo Perdigão.

É ainda autora de vários livros (romance e conto), tendo sido considerada uma das revelações literárias da década 2000-2010 pelo JL..

19 de Julho
16h00-21h00
21h30 - Salão Literário
Tribunal da Relação
Évora

20 de Julho
16h00-21h00
Tribunal da Relação
Évora

21 de Julho
11h00-21h00
Tribunal da Relação
Évora

22 de Julho
11h00-21h00
Tribunal da Relação
Évora

Salão Literário
(Domingo Rural)
13h00
Monte do Quiosque
Azaruja